O que é Metaverso e o que será preciso para trabalhar com essa tecnologia?

29 de dezembro de 2021
Adriano Martins Antonio

Nos últimos meses, uma palavra que se tornou bastante popular foi “metaverso”, não é? Você provavelmente está vendo esse termo nas notícias ou se surpreendeu com o anúncio feito por Mark Zuckerberg, CEO do Facebook.

Ele próprio afirmou acreditar que grande parte do futuro da rede social estará no metaverso, inclusive rebatizou a marca como “Meta”.

Por isso, na indústria da tecnologia, há uma febre sobre o metaverso e as empresas estão interessadas em fazer parte desse “próximo capítulo” da internet.

Assim, entenda o que é metaverso, sua importância e o que esperar dessa nova tecnologia para as empresas no futuro.

O que significa metaverso?

Primeiramente, é necessário citar que metaverso não é algo novo. A palavra existe desde a década de 1980 dentro da literatura cyberpunk, com o livro de ficção científica Snow Crash, do autor Neal Stephenson.

Na obra, o personagem principal é um entregador de pizza na “vida real”, mas no mundo virtual – o metaverso – ele é um samurai.

Então, de um modo fácil de explicar, podemos dizer que o metaverso é uma espécie de nova camada da realidade. 

Ou seja, é uma esfera que integra os mundos real e virtual, onde as pessoas podem se encontrar com a ajuda de avatares personalizados, podendo assim trabalhar, estudar, fazer entrevistas de emprego, comunicar-se com clientes, interagir com amigos, fazer compras e mais.

Dessa maneira, o metaverso não é real em sua totalidade, mas as pessoas serão capazes de interagir umas com as outras de uma forma ainda mais parecida com a vida real do que as redes sociais existentes hoje em dia. 

As pessoas não serão apenas observadoras do virtual: elas farão parte dele.

Entenda que na prática, o metaverso é um ambiente virtual imersivo que é construído através da aplicação de diversas tecnologias, como é o caso das conhecidas Realidade Virtual e Realidade Aumentada, além de hologramas.

Claro, o metaverso ainda não existe. Ele é uma rede e não um só serviço – é um conjunto deles. Ele depende de uma infinidade de serviços interconectados para ter sucesso.

O metaverso é importante?

Essa “corrida” para o metaverso é impulsionada por uma série de fatores, afinal é cada vez mais comum encontrarmos pessoas adotando plataformas de jogos sociais baseados em avatares. 

Simultaneamente, a pandemia do novo coronavírus serviu de incentivo para que todos procurassem por novas formas de interação em tempo real – e as grandes empresas, como Apple, Meta, Google e Amazon estão tentando descobrir o próximo grande sucesso. E o metaverso vem sendo diretamente apontado como o principal.

Seja como for, o metaverso é visto como a evolução da internet – na visão de alguns entusiastas. Já para outros, essa ideia não é tão positiva, pois pode envolver riscos ainda maiores para a privacidade e também acabar se tornando uma “droga” viciante.

O bem-estar mental vem também sendo bastante discutido por conta da atual confusão de desinformação e os próprios efeitos da falta de privacidade.

Logo, é importante mencionar que esses problemas não somem no metaverso, mas podem ser diferentes. Prestar atenção nessas questões desde o início será importante tanto para o pessoal do setor quanto para quem utilizará essa nova tecnologia.

Além disso, um dos questionamentos sobre o metaverso é quem vai pagar por isso e como. Na realidade, grande parte da internet para o consumidor atual é baseada na publicada, juntamente com uma boa quantidade de assinaturas.

É provável que esses mesmos modelos funcionem no metaverso. Pode acontecer também de ocorrer o retorno de modelos de negócios transacionais.

De toda forma, os modelos de negócios para o metaverso e para os demais serviços do futuro podem impactar as empresas que competem pela construção de tais tecnologias, podendo até decidir quem participará desses novos mundos.

O que será necessário ter para trabalhar com o metaverso?

Enfim, de acordo com Zuckerberg, os recursos-chave do metaverso podem demorar de cinco a dez anos para se tornarem mainstream. 

Certos aspectos do metaverso existem hoje em dia, mas não estão acessíveis para todos. No entanto, a implantação do metaverso vai depender ainda do amadurecimento de certas tecnologias, como o 5G.

Em resumo, a nova tecnologia trará inúmeras mudanças e pode favorecer tanto a empresa quanto os colaboradores. Obviamente, ela exigiria adaptações de ambos os lados, ainda mais pela interação virtual em um nível de imersão que irá demandar uma série de novas condutas e dinâmicas sociais.

Mesmo assim, enquanto ainda é um caminho que está sendo pavimentado, as empresas precisam ter em mente que o metaverso irá requerer avanços técnicos importantes e, sem dúvida, envolvimento regulatório. 

Revisões nas políticas de negócios e mudanças no comportamento do consumidor serão outros dois pontos que pesarão muito ao colocar o metaverso em prática.

Por fim, não importa a demora pela implantação do metaverso – está claro que o hardware imersivo será o protagonista para a próxima década (ou mais).

E a pergunta que não cala é: O quanto as empresas estão preparadas para essa nova tecnologia? E você, está se preparando para chegada do metaverso? Deixe seu comentário com sua opinião sobre o assunto. E, para se informar mais sobre este e outros temas na área de Tecnologia, leia mais artigos aqui no blog. Valeu, e até o próximo!

 

Blog

Open Banking é seguro?

O que é Open Banking e quais os desafios que oferece para a segurança de dados? Entre as novidades que permeiam o mercado financeiro e

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine Minha Newsletter

Fique por dentro das novidades e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail.