Dispositivos de Rede

25 de maio de 2022
Adriano Martins Antonio

Tudo hoje em dia nos impõe a necessidade de conexão com o resto do mundo, não é mesmo? Isso vale desde o envio de mensagens e compras de produtos e serviços, até transações bancárias e processamento de informações em servidores na nuvem.

Obviamente, para que estas atividades sejam possíveis, alguns dispositivos são fundamentais. E é sobre isso o assunto de hoje: os dispositivos de rede, que também chamamos de hardware de rede.

Assim, é necessário que os gestores de Tecnologia da Informação da organização tenham conhecimento da distribuição desses dispositivos para ter mais funcionalidade, segurança e alta performance. 

Entenda aqui 4 dispositivos de rede mais comuns e seus funcionamentos!

Hub

Primeiramente, vamos falar do hub. Os hubs são dispositivos de rede antigos com a função de conectar todos os sistemas em um ambiente de rede.

Ou seja, eles conectam vários dispositivos de rede de computadores, mas também podem atuar como um repetidor, pois amplificam os sinais que se deterioram depois de percorrerem longas distâncias pelos cabos de conexão.

Nesse caso, pode-se usar esse dispositivo com dados digitais e analógicos, desde que programe suas configurações para preparar a formatação dos dados recebidos.

Por exemplo, se os dados de entrada estiverem em formato digital, o hub deve transmiti-los como pacotes. No entanto, se os dados de entrada forem analógicos, o hub os transmitirá em forma de sinal.

A desvantagem do hub é que ele consome largura de banda enviando os dados para todas as portas do hub. Por que fazer isso se enviamos os dados para apenas um computador específico?

Além disso, outra desvantagem é que é um problema de segurança se todos os sistemas da rede receberem os dados, embora os ignorem porque não são para eles.

Saiba mais sobre o Controle de Acesso na Segurança da Informação.

Switch

Em geral, um switch de rede tem um papel mais inteligente do que os hubs.

Logo, definimos os switches como dispositivos multiportas que melhoram a eficiência da rede, mantendo informações de roteamento ilimitadas sobre nós na rede interna e permitindo conexões com sistemas como hub ou roteadores.

Isso quer dizer que o switch é capaz de criar uma espécie de canal de comunicação exclusivo entre o ponto de origem e o ponto de destino, filtrando o tráfego, o que impede que os outros capturem e visualizem informações potencialmente confidenciais.

Assim, o desempenho da rede aumenta já que ela não fica presa a um só computador no envio de informações. 

Dessa forma, a ocorrência de erros diminui! E melhora-se também a segurança da rede, pois os circuitos virtuais são mais difíceis de examinar com monitores de rede.

Outra característica importante de um switch é o “domínio de colisão”, que é um grupo de sistemas que compartilham o mesmo segmento de rede e, portanto, podem ter seus dados colidindo entre si. 

Todas as portas em um hub criam um único domínio de colisão, mas cada porta em um switch cria um domínio de colisão separado.

VLAN

Enfim, a maioria dos switches hoje suporta um recurso chamado de LANs virtuais (VLANs).

Nesse caso, o objetivo de uma VLAN é criar várias redes dentro de um switch de rede. Uma maneira de fazer isso é colocando as portas do switch em agrupamentos de VLAN.

Quando conectamos um sistema a uma porta no switch, ele se torna um membro da VLAN a qual a porta está associada. O ponto importante é que quando um sistema é membro de uma VLAN, ele não pode se comunicar com sistemas em outra VLAN.

Isto é, é como se cada VLAN tivesse seu próprio switch sem conexão com outro switch.

Leia aqui sobre Segurança em Rede e Comunicações.

Roteador

Nesse meio tempo, temos também o roteador, que ajuda a transmitir pacotes para seus destinos traçando um caminho através do mar de dispositivos de rede interconectados utilizando diversas topologias de rede.

Em resumo, isso significa que o roteador pode definir o melhor caminho para que a informação chegue ao seu destino. Portanto, tal dispositivo é usado principalmente com o objetivo de ligar uma rede local em uma rede de longa distância.

A maioria dos roteadores pode ser configurada para operar como firewalls de filtragem de pacotes e usar listas de controle de acesso (ACLs).

Ainda, os roteadores, em conjunto com uma unidade de serviço de canal/unidade de serviço de dados (CSU/DSU), também são utilizados para converter de enquadramento de LAN para enquadramento de WAN. Isso é necessário, pois as LANs e WANs usam protocolos de rede diferentes.

Em síntese, os roteadores são ótimos dispositivos de rede porque definem os limites da rede criando o que é chamado de domínio de transmissão, que é um grupo de sistemas que podem receber as mensagens de transmissão uns dos outros.

Além desses 4 dispositivos de rede citados, podemos mencionar os firewalls, splitters e gateways. Quais dispositivos de rede sua organização utiliza?

Você pode saber mais sobre dispositivos de rede e trilhar a formação de Segurança Cibernética com o plano de assinatura PMG PRIME.

Leia mais textos no blog e se tiver dúvidas deixe nos comentários!

Blog

O que são ataques de criptografia?

A criptografia é um método de armazenamento e transmissão de dados de uma forma específica para que apenas os destinatários possam lê-los e processá-los.  Dessa

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine Minha Newsletter

Fique por dentro das novidades e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail.